Notícias fundação Shunji Sishimura

27/08/2019

Fatec Pompeia desenvolve banco de dados do agronegócio.

A agricultura de alta precisão e a automação ganharam mais um aliado no campo. Em parceria com a Faculdade de Tecnologia do Estado de São Paulo (Fatec) Shunji Nishimura, de Pompeia, a Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq) está desenvolvendo uma plataforma digital para mapear as informações geradas por máquinas agrícolas. A aposta é que a nova tecnologia aumente a eficiência e reduza o impacto ambiental gerado pelo agronegócio.
 
Conhecida como Banco de Dados Colaborativo do Agricultor (BDCA), a plataforma vai reunir dados para ajudar o produtor a escolher, por exemplo, tipos de semente, volume de aplicação de adubo e fertilizante e até a melhor época para o plantio.
 
Segundo o professor José Vitor Salvi, do curso superior tecnológico de Mecanização em Agricultura de Precisão da Fatec, a ferramenta será uma referência para o produtor rural tomar decisões. Com as informações coletadas, ele poderá fazer um manejo mais racional, garantindo eficiência e rentabilidade.
 
A plataforma será multimarca e integrará informações de diversos fabricantes, disponibilizadas para os agricultores que tiverem algum desses equipamentos. O BDCA vai concentrar os dados de plantadeiras, colheitadeiras, pulverizadores, sensores e softwares de diferentes fabricantes. Hoje, os produtores só têm acesso às informações da empresa de quem compraram as máquinas. Para Salvi, a integração é o principal diferencial dessa tecnologia.
 
“O BDCA simplificará os processos porque todas as informações estarão à disposição no mesmo ambiente. As máquinas agrícolas têm uma tecnologia embarcada, com sensores e softwares, comparada à dos carros”, diz. “A integração de informações no mesmo local garantirá aumento da produtividade e da segurança.” Segundo o professor, a plataforma viabilizará um custo de produção mais baixo, mais ágil e proporcionará ganhos econômicos e ambientais. E ainda poderá otimizar a produção agrícola. “A tecnologia virou recurso obrigatório no agronegócio, setor que reforça as exportações e a balança comercial do País.”
 
Nesta fase de desenvolvimento, a Fatec Pompeia é responsável pelos testes de validação da plataforma e monitoramento do projeto. Os dados gerados são armazenados e administrados com segurança pela Abimaq. O produtor rural é o responsável exclusivo pelas informações e pela liberação do acesso à plataforma. Os dados disponíveis poderão ser compartilhados por fornecedores, clientes, empresas e associações do setor.
 
Além da Fatec Pompeia, fabricantes de máquinas e equipamentos agrícolas como Baldan, Jumil, Miac, Jacto, Marchesan, Stara e Vence Tudo são parceiros da Abimaq nesse projeto.
O projeto-piloto do BDCA foi apresentado em um stand do projeto durante a Agrishow pelos alunos do quinto semestre do curso de Mecanização em Agricultura de Precisão, durante a Agrishow, entre 29 de abril e 3 de maio na cidade de Ribeirão Preto. A previsão é que a plataforma comece a operar plenamente em 2020.